Atualizações   •   Grupos   •   Artigos   •   ICMS Esportivo

Ex-ginasta Laysa Costa conta que aprendeu a ser competitiva com o esporte

Publicado em 05/03/2017 por

Imprimir Salvar em PDF Envie para um amigo por email

Foto: Arquivo Pessoal

O esporte proporciona muitas histórias. Uma delas é de Laysa Costa que, aos 17 anos, encerrou carreira na ginástica de trampolim. No entanto, a atleta se despediu da modalidade com a bagagem repleta de aprendizados.

Premiada no último “Melhores do Ano”, Laysa Costa teve que conviver com uma lesão no pulso nos últimos momentos da carreira, mas superou tudo e encerrou com chave de ouro.

Confira a entrevista completa do Observatório do Esporte de Minas Gerais com Laysa Costa:

Quando você decidiu se tornar uma atleta?

“Comecei quando eu tinha 8 para 9 anos, por  causa de um primo que fazia ginástica, vendo-o tive vontade de iniciar. Como era de graça, minha avó me colocou para treinar. Fui tomando gosto e comecei a treinar mais sério, até que recebi minhas premiações.”

Você tem algum ídolo em quem se inspira?

“Eu gosto muito da Jade Barbosa. Ela foi um dos motivos por eu ter ingressado na ginástica, apesar de sempre ter gostado do esporte.”

Qual o maior desafio que você enfrenta no esporte? E como busca a superação?

“Um pouco antes de eu iniciar carreira na ginástica de trampolim, tive uma lesão no pulso esquerdo e ainda estou me recuperando, isso está complentando um ano e quatro meses. Mesmo assim eu não quis parar.”

Para você o que significa o esporte?

“O esporte me ajudou em muita coisa. Como eu só estudava, o esporte serviu para ocupar meu tempo e me proporcionou lazer.”

Quais as principais mudanças que o esporte trouxe à sua vida?

“Eu comecei a ser menos estressada com todos e aprendi a perder. Não era sempre que conseguia conquistar o que queria. Houve um período que não ganhei nada e fiquei decepcionada, mas continuei treinando para melhorar.”

Quais são suas principais metas para os próximos anos?

“Depois que me aposentei, comecei a trabalhar e pretendo estudar futuramente. Queria algo na área do esporte.”

Qual foi a sensação de ter conquistado o prêmio “Melhores do Ano 2016″?

“Foi maravilhoso! Eu já havia ganhado uma premiação na minha cidade, mas ganhar o prêmio a nível estadual foi muito bom.”

Quais foram suas principais conquistas?

“Meu primeiro JEMG em 2012 e um segundo lugar na ginástica artística. Fiquei muitas vezes no pódio e fui tomando gosto pelo esporte.”

Um recado para os jovens que queiram praticar a ginástica ou que estão começando:

“Para quem está começando, a primeira coisa é ter foco. Se você começa pensando em parar, não vai chegar a lugar nenhum. Tem que estabelecer uma meta para ser atingida futuramente para entender como é maravilhoso.”

Comentários estão fechados

Vídeos

Exercício no frio faz mal? Exercício no frio faz mal?

07/07 Exercício no frio faz mal?

ABC do ESPORTE – VÔLEI FEMININO ABC do ESPORTE – VÔLEI FEMININO

28/06 ABC do ESPORTE – VÔLEI FEMININO

Aprenda a ensinar: Badminton Aprenda a ensinar: Badminton

22/06 Aprenda a ensinar: Badminton

Saúde Mental e Esporte Paralímpico: da Inclusão ao Alto Rendimento Saúde Mental e Esporte Paralímpico: da Inclusão ao Alto Rendimento

14/06 Saúde Mental e Esporte Paralímpico: da Inclusão ao Alto Rendimento

Treino em qualquer lugar: exercícios rápidos e eficientes Treino em qualquer lugar: exercícios rápidos e eficientes

12/06 Treino em qualquer lugar: exercícios rápidos e eficientes

Série Aprenda a Ensinar: Judô Série Aprenda a Ensinar: Judô

01/06 Série Aprenda a Ensinar: Judô

Aprenda a Ensinar: ginástica artística – Transforma Rio 2016 Aprenda a Ensinar: ginástica artística – Transforma Rio 2016

25/05 Aprenda a Ensinar: ginástica artística – Transforma Rio 2016

VIDEODICAS | JP VERGUEIRO | TODOS POR UM: ONGs CAPTANDO JUNTAS VIDEODICAS | JP VERGUEIRO | TODOS POR UM: ONGs CAPTANDO JUNTAS

05/05 VIDEODICAS | JP VERGUEIRO | TODOS POR UM: ONGs CAPTANDO JUNTAS

Desenvolvido por Softbis