Atualizações   •   Grupos   •   Artigos   •   ICMS Esportivo

Inspirada em craques da NBA, Maria Luiza Oliveira supera lesões para seguir no basquete

Publicado em 02/03/2017 por

Imprimir Salvar em PDF Envie para um amigo por email

Maria Luiza Oliveira já provou diversas conquistas no basquete. Campeã nos Jogos Escolares de Minas Gerais (JEMG) e pela seleção mineira, a atleta também teve que passar por momentos difíceis, como lesões.

A última foi recente. Maria Luiza acabou de se recuperar de um rompimento de ligamentos, mas isso não abalou o psicológico da atleta, que promete voltar mais forte.

Confira a entrevista completa do Observatório do Esporte de Minas Gerais com Maria Luiza Oliveira:

Quando você decidiu se tornar uma atleta?

“Eu era muito pequena e eu sempre fui de fazer muito esporte. Conheci o basquete através de um projeto na escola, aos dez anos, e me apaixonei. Desde então não saí mais”

Você tem algum ídolo em quem se inspira?

“Eu vejo muito NBA (Liga Americana de Basquete). Gosto do Kevin Durant, mas sempre me inspirei no Michael Jordan, na Hortência que, apesar de não ser da minha época, vejo muitos vídeos dela”

Qual o maior desafio que você enfrenta no esporte? E como busca a superação?

“Eu já tive muita lesão. A última eu rompi os ligamentos do pé e foi muito doloroso ficar de fora dos campeonatos. Agora que me recuperei tô tentando esperar um pouco, pois estourei a idade”

Para você o que significa o esporte?

“O esporte significa tudo para mim, pois aprendi tudo muito cedo. Me ensinou a ter espírito de equipe e me deu uma família em quadra”

Quais as principais mudanças que o esporte trouxe à sua vida?

“Eu era muito tímida e o esporte me ajudou muito. Tive muitas oportunidades com o esporte. Sem ele, não iria conhecer lugares. Com o esporte a gente aprende a dividir as coisas, tem que ser coletivo. Aprendemos muitas coisas dentro e fora de quadra”

Quais são suas principais metas para os próximos anos?

“Pretendo jogar na categoria adulta no basquete e espero ter uma chance de atuar fora”

Qual foi a sensação de ter conquistado o prêmio “Melhores do Ano 2016″?

“Uma sensação incrível. Ser vista como a melhor, ser prestigiada por isso, o reconhecimento é muito. Só tenho que agradecer. Sempre fui muito dedicada. Nunca faltei a treino, sempre tive metas”

Quais foram suas principais conquistas?

“Além de ganhar o Melhores do Ano, já conquistei os Jogos Escolares de Minas Gerais e ganhei títulos com a seleção mineira por três vezes”

Um recado para os jovens que queiram praticar o basquete ou que estão começando:

“Eu peço para que não desistam, independente do que estejam passando. O esporte é incrível. Ele ajuda no aprendizado e proporciona um futuro maravilhoso”

Comentários estão fechados

Vídeos

Exercício no frio faz mal? Exercício no frio faz mal?

07/07 Exercício no frio faz mal?

ABC do ESPORTE – VÔLEI FEMININO ABC do ESPORTE – VÔLEI FEMININO

28/06 ABC do ESPORTE – VÔLEI FEMININO

Aprenda a ensinar: Badminton Aprenda a ensinar: Badminton

22/06 Aprenda a ensinar: Badminton

Saúde Mental e Esporte Paralímpico: da Inclusão ao Alto Rendimento Saúde Mental e Esporte Paralímpico: da Inclusão ao Alto Rendimento

14/06 Saúde Mental e Esporte Paralímpico: da Inclusão ao Alto Rendimento

Treino em qualquer lugar: exercícios rápidos e eficientes Treino em qualquer lugar: exercícios rápidos e eficientes

12/06 Treino em qualquer lugar: exercícios rápidos e eficientes

Série Aprenda a Ensinar: Judô Série Aprenda a Ensinar: Judô

01/06 Série Aprenda a Ensinar: Judô

Aprenda a Ensinar: ginástica artística – Transforma Rio 2016 Aprenda a Ensinar: ginástica artística – Transforma Rio 2016

25/05 Aprenda a Ensinar: ginástica artística – Transforma Rio 2016

VIDEODICAS | JP VERGUEIRO | TODOS POR UM: ONGs CAPTANDO JUNTAS VIDEODICAS | JP VERGUEIRO | TODOS POR UM: ONGs CAPTANDO JUNTAS

05/05 VIDEODICAS | JP VERGUEIRO | TODOS POR UM: ONGs CAPTANDO JUNTAS

Desenvolvido por Softbis