Na semana do Dia Internacional do # Jogo Limpo, confira as principais ações da Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem

Publicado em 13/04/2018 por

Imprimir Envie para um amigo por email
Print Friendly

No último dia 10 foi comemorado o Dia Internacional do #Jogo Limpo. A data celebrada pela Agência Mundial Antidopagem (WADA) é uma oportunidade para divulgar a campanha que dissemina valores éticos e morais do esporte, o respeito aos adversários, a honestidade e a disciplina. “O Jogo Limpo é uma campanha que extrapola as quadras, campos e estádios. É uma mensagem para o esporte e para a vida. O respeito é um ingrediente importante para ter um esporte saudável, além de estimular o conceito de igualdade, respeito, amizade e desenvolvimento social”, explicou o professor Luiz Celso Giacomini, Secretário Nacional da Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem (ABCD), do Ministério do Esporte.

A ação antidoping #JOGOLIMPO da ABCD tem vários protagonistas: Gabriel Medina, a judoca Rafaela Silva, o nadador paralímpico Daniel Dias e o técnico de vôlei José Roberto Guimarães.

A ABCD promove e coordena a ação educativa a favor do jogo limpo no esporte em todos os seus aspectos: educação e prevenção, formação e gestão dos agentes de controle de dopagem, seleção de atletas para coleta de amostras e apuração e gestão das violações às regras do Código Mundial Antidopagem da Agência Mundial Antidopagem.

Além da Campanha #JOGOLIMPO, a Associação tem realizado várias iniciativas. Confira algumas delas:

 VII Seminário Sul-Americano Legal Antidopagem

O Seminário realizado no Rio de Janeiro, entre os dias 06 e 08 de março deste ano contou com a presença de mais de 50 participantes de 11 países. O foco do evento girou em torno de promover o aumento do espírito de cooperação entre países e padronização internacional na gestão de resultados em controle antidopagem.

As atividades se estenderam ao longo de dois dias com discussões sobre diversos temas que rodeiam a dopagem. Painéis, debates e discussões sobre casos e suas respectivas soluções de acordo com o Código Mundial Antidopagem movimentaram as atividades. “É bom ver as diferentes interpretações nos artigos do Código Mundial. Mas quem esteve aqui notou que, mesmo com interpretações diferentes, acabávamos por chegar na mesma conclusão. E isso tem muito valor. As pessoas apreciaram os casos usando os fundamentos adequados para a resolução”, opinou Maria José Pesce, Diretora regional da América Latina da WADA.

“Muita gente quer fazer uso de suplemento do seu próprio jeito. Na minha primeira olimpíada, não tinha suplemento. Era treino e comida. Em 2003, tive o primeiro contato com suplemento. Mas foi com acompanhamento, orientação. O atleta é responsável pelo que ingere. Você escolhe o que você come e o que você usa”, resumiu Tiago Camilo, presidente da Comissão de Atletas do Comitê Olímpico Brasileiro e duas vezes medalhistas olímpicos.

O seminário terminou com uma atividade que resumiu o objetivo do evento. Por algumas horas, os participantes (advogados, juristas e membros executivos de organizações nacionais antidopagem) dividiram-se em grupos para análises de casos práticos de resultados analíticos adversos. O debate e troca de experiências entre os envolvidos para que aumentem cada vez mais a cooperação entre os países da América Latina era um dos principais motivos para a realização do seminário.

 1º Seminário Brasileiro Antidopagem

Depois de receber o Seminário Sul-Americano Legal de Antidopagem, o Rio de Janeiro foi palco do 1º Seminário Brasileiro Antidopagem realizado em 09.03. O evento contou com público variado, como jornalistas, médicos, atletas, ex-atletas, dirigentes e autoridades nacionais e internacionais. O objetivo comum entre todos eles era um só: buscar conhecimento mais apurado no combate ao doping.

A discussão girou em torno de como achar soluções para os problemas envolvendo doping no esporte brasileiro. “O caminho do problema do doping é áspero e doloroso e precisa ser combatido. E esse é um problema não só do atleta. Temos que envolver técnicos, confederações, autoridades e até as famílias dos esportistas também”, disse o secretário da ABCD, Luiz Celso Giacomini.

1º Encontro das Faculdades de Educação Física do Brasil

O evento que aconteceu em 2017, em Brasília, teve como objetivo estabelecer a política nacional de informação, educação e prevenção à dopagem no esporte brasileiro, além de incentivar e promover o desenvolvimento dos profissionais da Educação Física e envolveu cerca de 200 pessoas entre atletas, representantes de faculdades, confederações e Conselhos Regionais de Educação Física.

As discussões foram amplas e envolveram todos os pontos de vista de pessoas relacionadas ao esporte e não só de alto rendimento. Dos atletas aos dirigentes, dos políticos aos profissionais de Educação Física, o assunto de dopagem foi amplamente discutido durante o encontro.

O evento teve destacou o incentivo à educação da antidopagem, materializado na criação do Tribunal de Justiça Antidopagem (TJAD) que é responsável por receber as denúncias de uso de substâncias ilícitas apuradas pela ABCD. Além disso, também foi falado sobre a criação do Laboratório Brasileiro de Controle de Dopagem, na Universidade Federal do Rio de Janeiro, único da América do Sul credenciado pela Agência Mundial Antidopagem.

Para saber mais sobre os eventos e discussões promovidas pela ABCD, você pode acessar o site oficial da Associação, clicando aqui.

Fonte: ABCD

Disponível em: https://goo.gl/K7ZtDA, https://goo.gl/p1BAcG e https://goo.gl/W7K6do
Acesso em: 13/04/18

Imprimir Envie para um amigo por email
Print Friendly

Comentários estão fechados

Videoteca

Conheça o aplicativo Empurrando Juntos Conheça o aplicativo Empurrando Juntos

14/06 Conheça o aplicativo Empurrando Juntos