Presença feminina no esporte é assunto do 1º Dialogue com Elas

Publicado em 08/03/2018 por

Imprimir Envie para um amigo por email
Print Friendly

Iniciativa do Observatório do Esporte reuniu representantes de diversas áreas esportivas por ocasião do Dia Internacional da Mulher

mulheres cadeia esportiva

Mulheres que atuam no esporte participaram do debate. Foto: Renata Silva/SEESP

Para profissionais que têm a competência posta à prova todos os dias pelo simples fato de serem mulheres, o diálogo é valioso. Com o objetivo de ouvir e compartilhar a realidade das representantes femininas no ambiente esportivo, além de conhecer as dificuldades que existem e buscar soluções em conjunto, a Secretaria de Estado de Esportes (SEESP), por meio do portal Observatório do Esporte, promoveu, nesta quinta-feira (08), o 1º Dialogue com Elas para celebrar o Dia Internacional da Mulher.

Participaram do momento de interação – conduzido pelo secretário de Estado de Esportes em exercício, Ricardo Sapi –, a professora Cláudia Barsand; Deanne Silva, judoca paralímpica; Helen Araújo, árbitra assistente de futebol; Cibele Castro, ex-servidora da SEESP; Chris Diniz, integrante do Conselho Estadual da Mulher; Ilma Laís, superintendente de Fomento e Incentivo ao Esporte da SEESP; Mariana Rosignoli, advogada desportiva; Myrian Fortuna, presidente do Tupi Football Club, de Juiz de Fora; e Maria Inês Salles, técnica de ginástica rítmica. Todas foram homenageadas pela SEESP com um certificado em reconhecimento pelos serviços prestados ao esporte mineiro.

Segundo o secretário, a intenção é transformar o 1º Dialogue em encontros frequentes para troca de experiências. “É uma iniciativa inédita e muito importante da Secretaria. Nossa intenção é ampliá-la para viabilizar a adesão de mais mulheres ao esporte, em todas as suas áreas, como atletas, técnicas, dirigentes e mesmo como torcedoras, e evitar que exista qualquer tipo de preconceito”, comentou Sapi.

No debate, as participantes foram unânimes quando tratada a invisibilidade feminina no meio esportivo. “Temos aqui quantas pessoas, quantas histórias e quanta invisibilidade perante a sociedade, não é?”, observou a professora Cláudia.

Myrian, presidente do Tupi, equipe da primeira divisão do futebol mineiro, falou sobre a falta de mulheres como dirigentes de times. “Muitas mulheres deixam de se envolver com esse meio por falta de oportunidade e pelo preconceito em um espaço predominantemente masculino”, relatou. “Quando assumi a presidência do Tupi, cheguei a perder patrocinadores, uma vez que o time passou a ser comandado por uma mulher, e me disseram que, caso o clube fosse rebaixado, a culpa seria minha”.

A técnica de ginástica, Maria Inês Salles, que fez parte da Seleção Brasileira da modalidade como atleta em 1975, falou das dificuldades do esporte especializado e da falta de reconhecimento por parte da população em geral. “Eu fico muito feliz e emocionada, porque depois de tantos anos de trabalho, é a primeira vez que sou lembrada para um momento como este”, destacou. “Eu sempre disse para os meus alunos: não sonhem pequeno; sonhem grande, porque o tamanho do nosso sonho será o tamanho da nossa realização. E eu sempre sonhei grande, desde que eu era ginasta, e em breve terei a segunda ginasta em uma Olimpíada. Só quem trabalha com esporte sabe o quanto isso é difícil em um país como o nosso”, comentou, referindo se à ex-ginasta Daniela Leite, que esteve nos Jogos Olímpicos Pequim 2008, e à jovem Eduarda Braga de Carvalho, que buscará a classificação para Tóquio 2020.

Já a judoca paralímpica Deanne Silva, contemplada pelo programa Bolsa Atleta da SEESP, falou dos desafios enfrentados pela mulher com deficiência e reconheceu a importância da prática esportiva. “O esporte mudou a minha vida. O esporte muda a vida de qualquer pessoa, principalmente da pessoa com deficiência, e ter lugares adaptados para nos atender é muito importante”, afirmou.

Na discussão foram levantadas demandas sobre a realidade da mulher no esporte, como o preconceito e o desrespeito por parte de torcedores, especialmente; a falta de oportunidades e a deficiência de estrutura das praças esportivas para recebe-las. Os pontos abordados serão transformados em um plano de ação para que as políticas públicas ampliem o atendimento às mineiras.

A ação faz parte das atividades do Observatório do Esporte. Mais que um portal, o site é uma iniciativa da SEESP com o intuito de monitorar a realidade esportiva mineira por meio do levantamento de dados, números, indicadores e pesquisas que subsidiem o diálogo, programas e tomada de decisões de agentes dos setores público, privado e da sociedade civil para ampliação do fomento ao esporte e à prática de atividades físicas em Minas Gerais.

Presidência simbólica

Nesta quinta-feira, foi realizada a 51ª reunião do Comitê Deliberativo Minas Esportiva Incentivo ao Esporte. Por ocasião do Dia Internacional da Mulher, o secretário Sapi, presidente da comissão, passou a presidência simbólica à servidora Denise Hallak, que foi responsável, então, por conduzir a análise dos 47 projetos protocolados no mecanismo da SEESP que estavam na pauta.

Secretaria de Estado de Esportes de Minas Gerais

Imprimir Envie para um amigo por email
Print Friendly

Comentários estão fechados

Videoteca

Conheça o aplicativo Empurrando Juntos Conheça o aplicativo Empurrando Juntos

14/06 Conheça o aplicativo Empurrando Juntos