Festival Paralímpico: inclusão e estímulo às práticas esportivas

Publicado em 24/09/2019 por

Imprimir Envie para um amigo por email
Print Friendly

Marcando o Dia Nacional do Atleta Paralímpíco, celebrado em 22 de setembro, nove cidades de Minas Gerais, receberam nesse sábado, 21, o Festival Paralímpico. Com o objetivo de fomentar o desporto para pessoas com deficiência, além de proporcionar vivências esportivas paras as crianças, com atividades inclusivas e participativas de formas lúdicas. O Festival foi promovido pelo Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB), e contou com o apoio da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social, por meio da Subsecretaria de Esportes.

Esta edição do festival bateu recorde de participação, reunindo cerca de 11 mil jovens. O evento foi promovido simultaneamente em 70 cidades do Brasil. Em Minas, Belo Horizonte, Varginha, Uberlândia, Betim, Contagem, Ipatinga, Lavras, Poços de Caldas, Três Corações, e Uberaba executaram o evento. As atividades se direcionavam às crianças e aos adolescentes com e sem deficiência, de ambos os gêneros, na faixa etária entre 10 e 17 anos, que tiveram a oportunidade de experimentar e praticar gratuitamente os principais fundamentos e habilidades de diversas modalidades paraolímpicas. O Analista de Políticas Públicas na área do Paradesporto e Educação Física, Cláudio Coelho, comemorou o sucesso do evento: “A Realização do Festival Paralímpico superou as nossas expectativas, primeiramente pelo comprometimento dos coordenadores de cada município em prol do esporte para pessoa com deficiência, alcançamos um número significativo de alunos por núcleo, uma média de 80% de adesão em cada município”, relatou.

Jovens tiveram a oportunidade do contato com o esporte adaptado. Foto: Rafael Souza/Prefeitura de Três Corações

Jovens tiveram a oportunidade do contato com o esporte adaptado. Foto: Rafael Souza/Prefeitura de Três Corações

Atletismo, basquete em cadeira de rodas, bocha, natação, futebol de 5 (cegos), futebol de 7 (paralisados cerebrais), goalball, judô, parabadminton, parataekwondo, tênis de mesa, tênis em cadeira de rodas e vôlei sentado, foram algumas das modalidades disponibilizadas para todos aqueles que se interessaram em participar. Cláudio também falou sobre a importância desse primeiro contato do jovem com o esporte. “É possível afirmar que já começamos a colher bons frutos desse festival, pois foi possível identificar muitos talentos que logo poderão estar representando seus municípios nos jogos escolares, e também, possivelmente, representando o Estado de Minas no cenário Paralímpico”, afirma.

Alguns atletas presentes no Parapan de Lima em 2019, marcaram presença nesta edição do Festival Paralímpico. Gabriel Geraldo, atleta da natação, esteve presente em Belo Horizonte, Mateus Assis e Luciano Dantas, do halterofilismo em Uberlândia e Thiego Marques, atleta de Judô, em Varginha.

Inclusão pelo esporte

Bocha foi uma das atividades disponíveis no Festival. Foto: Rafael Souza/Prefeitura de Três Corações

Bocha foi uma das atividades disponíveis no Festival. Foto: Rafael Souza/Prefeitura de Três Corações

O Dia do Atleta paralímpico foi instituído a partir do decreto de lei nº 12.622, de 8 de maio de 2012, mas apenas começou a ser comemorado em 2014. Também no dia 22, comemora-se a fundação do Comitê Paralímpico Internacional (IPC, na sigla em inglês). A entidade é a autoridade máxima do paradesporto e detém o direito de organizar os Jogos Paralímpicos.

O Dia Nacional do Atleta Paralímpico dá sequência às comemorações ao Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência (21 de setembro), que existe desde 2005 com o objetivo de conscientizar sobre a importância do desenvolvimento de meios de inclusão das pessoas com deficiência na sociedade.

Imprimir Envie para um amigo por email
Print Friendly

Comentários estão fechados

Videoteca

IV SIGPE | Conferência: Temas emergentes que impactam na gestão das entidades esportivas IV SIGPE | Conferência: Temas emergentes que impactam na gestão das entidades esportivas

25/06 IV SIGPE | Conferência: Temas emergentes que impactam na gestão das entidades esportivas