Comitê Paralímpico Brasileiro lançou, nesta quinta-feira, manifesto em celebração ao Dia Internacional das Pessoas com Deficiência

Publicado em 03/12/2020 por

Imprimir Envie para um amigo por email
Print Friendly, PDF & Email

Hoje, dia 03 de novembro de 2020, o Comitê Paralímpico Brasileiro lançou o “Manifesto Paralímpico” para celebrar o Dia Internacional das Pessoas com Deficiência, criado em 1992 pela Organização das Nações Unidas (ONU). A data estimula uma reflexão sobre os direitos da pessoa com deficiência, a conscientização da população sobre a importância do assunto, celebra as conquistas das pessoas deficientes e propõe a inclusão desse grupo na sociedade.

O manifesto tem como objetivo sensibilizar e fomentar uma discussão acerca dos desafios enfrentados por essas pessoas e de que forma é possível transformar os espaços frequentados por pessoas deficientes em espaços seguros, acessíveis e sustentáveis.

O ato contou com a participação de atletas que farão a leitura do manifesto e será divulgado um ensaio fotográfico com nomes da natação como Roberto Alcalde (S6), Maiara Barreto (S3), Gabriel Cristiano (S8), Dayanne da Silva (S6) e Andrey Garbe (classe S9). Os atletas do atletismo serão Daniel Mendes (T11),  Verônica Hipólito (T38), Washington Assis (T47) e Raissa Rocha (F56), além da mesa-tenista Jennifer Parinos (9). As fotos estarão disponíveis no facebook  e no Instagram da CPB a partir do dia 03.

“Eu amei participar das fotos. Foi uma experiência semelhante à campanha Movimento Paralímpico, que participei ano passado, com enaltecimento do nosso corpo e mostrando que a deficiência é só um detalhe. Essas ações são fundamentais porque despertam na sociedade a questão da igualdade da pessoa com deficiência”, afirmou a nadadora Dayane Silva.

“Não é comum fazer fotos com esse perfil. Normalmente, a gente faz como atleta competindo ou posando com a medalha. Achei bem diferente expor o corpo assim, mas foi natural. Gosto de mostrar que tenho uma limitação e convivo de forma tranquila com ela. Nunca quis esconder a minha deficiência. Sempre notei que as pessoas ficam chocadas ao ver a minha bengala e perceber que eu não tenho visão. Acredito que o mundo é que tem que se adequar às diferenças”, ressaltou Daniel, velocista da classe T11 (para cegos).

“Acreditamos que o esporte é um dos grandes agentes catalisadores para a inclusão das pessoas com deficiência na sociedade em todas as suas dimensões. Por meio dele é possível ampliar a percepção da sociedade em relação às pessoas com deficiência”, afirma Mizael Conrado, bicampeão paralímpico de futebol de cinco em Atenas 2004 e Pequim 2008, e presidente do CPB.

Segundo dados do censo do IBGE 2010, no Brasil existem 45,6 milhões de pessoas  que se declaram com deficiência, o que equivale a quase 23% da população.

O decreto via lei nº 3.298, de 20 de dezembro de 1999, define a deficiência humana como “toda perda ou anormalidade de uma estrutura ou função psicológica, fisiológica ou anatômica que gere incapacidade para o desempenho de atividade, dentro do padrão considerado normal para o ser humano”.

Para assistir ao vídeo do manifesto, clique aqui.
Para acessar as fotos do ensaio fotográfico disponibilizado no Instagram, clique aqui.
Para ler ao manifestado disponibilizado em PDF, clique aqui.

Crédito foto: CPB

Fontes: https://bit.ly/3odICar
https://bit.ly/37y9o6F

Imprimir Envie para um amigo por email
Print Friendly, PDF & Email

Comentários estão fechados

Videoteca

Impulsiona realiza live sobre atividade física no retorno às aulas presenciais Impulsiona realiza live sobre atividade física no retorno às aulas presenciais

03/12 Impulsiona realiza live sobre atividade física no retorno às aulas presenciais