Construções Brasil afora: o andamento das obras nos estádios brasileiros para o Mundial*

Publicado em 25/04/2012 por

Imprimir Envie para um amigo por email
Print Friendly

A  fama do ’jeitinho’ brasileiro está presente até nos estádios que serão palcos da Copa do Mundo de 2014.

Faltando cerca de dois anos para o Mundial, sete não atingiram nem 50% do cronograma de execução e a data prevista para entrega pode sofrer atrasos. Em Minas, o Mineirão está acima da maioria, e deve ser entregue em dezembro de 2012, mas quem sofreu com os atrasos foi o Independência. O estádio do Horto, que seria palco alternativo para os clubes enquanto o Gigante da Pampulha estivesse fechado, só deve ser liberado na próxima semana. O local ainda passará por uma vistoria para ser liberado para os jogos. A partida de abertura, no dia 25, entre América e Argentino Juniors, está confirmada. O laudo pendente é para a realização de jogos oficiais.

Confira o andamento das obras nos demais estádios do Mundial’2014:

Castelão
» 60,44% de execução
» Avançado, está na etapa de fundação
das arquibancadas.
» Capacidade: 67 mil
» Custo total: R$ 518,6 milhões
» Previsão de conclusão: dezembro de 2012

Arena da Baixada
» 52% de execução
» Repasse do BNDES foi suspenso pelo TCE até que o orçamento seja detalhado.
» Capacidade: 42 mil
» Custo total: R$ 234 milhões
» Previsão de conclusão: dezembro de 2012

Arena Fonte Nova
» 54% de execução
» Com a fundação concluída, segue para a fase estrutural.
» Capacidade: 50 mil
» Custo total: R$ 597 milhões
» Previsão de conclusão: dezembro de 2012

Estádio Nacional Mané Garrincha
» 54% de execução
» Arquibancadas intermediárias e superiores sendo concluídas.
» Capacidade: 71.412
» Custo total: R$ 688,3 milhões
» Previsão de conclusão: dezembro de 2012

Arena Pantanal
» 43% de execução
» Estrutura de concentro das arquibancadas está adiantada.
» Capacidade: 43.600
» Custo total: R$ 518,9 milhões
» Previsão de conclusão: dezembro de 2012

Maracanã
» 45% de execução
» Degraus da arquibancada superior sendo instalados.
» Capacidade: 76.525
» Custo total: R$ 883, milhões
» Previsão de conclusão: fevereiro de 2013

Arena da Amazônia
» 39% de execução
» Sem financiamento do BNDES, vem sendo tocada pelo estado do Amazonas.
» Capacidade: 43.710
» Custo total: R$ 533,2 milhões
» Previsão de conclusão: junho de 2013

Arena Pernambuco
» 35% de execução
» Participação na Copa das Confederações’2013 não está garantida, alerta COL.
» Capacidade: 46 mil
» Custo total: R$ 500,24 milhões
» Previsão de conclusão: dezembro de 2012

Arena de Itaquera
» 32% de execução
» Retirada de dutos subterrâneos facilita trabalhos.
» Capacidade: 68 mil
» Custo total: R$ 820 milhões
» Previsão de conclusão: dezembro de 2013

Arena das Dunas
» 22% de execução
» Descumprimento de liminar leva greve de operários à Justiça.
» Capacidade: 42.365
» Custo total: R$ 417 milhões
» Previsão de conclusão: dezembro de 2013

Beira-Rio
» Demora na assinatura de contrato com construtora deixa cronograma indefinido.
» Capacidade: 51,3 mil
» Custo total: R$ 290 milhões
» Previsão de conclusão: dezembro de 2012

Aldo Rebelo elogia Mineirão e minimiza atrasos em outros estádios: “desprezíveis”

O Ministro do Esporte, Aldo Rebelo, vê o ritmo das obras para a Copa de 2014, no Brasil, no ritmo certo. Ao visitar o Mineirão, na última quarta-feira, ele ignorou os indícios de atrasos em outras regiões do Brasil.

A situação da Arena das Dunas, em Natal (RN), e do Beira-Rio, em Porto Alegre (RS), por exemplo, é preocupante. Para Rebelo, no entanto, tudo estará pronto no tempo certo. “São atrasos estatisticamente desprezíveis. Ou seja, não vão comprometer a realização da Copa do Mundo e das Confederações. São atrasos tão pequenos que podem ser recuperados”, disse o Ministro.

O Maracanã, no Rio de Janeiro, também não preocupa Aldo Rebelo. Desta forma, uma transferência da final da Copa das Confederações, em 2013, para Belo Horizonte, é descartada. “O Maracanã está dentro do cronograma previsto. Se houver algum atraso, não vai comprometer a realização da Copa das Confederações”.

Sobre o Mineirão, previsto para ficar 100% concluído em dezembro deste ano, o Ministro fez muitos elogios. “Vendo a situação do Mineirão em relação à última vez que estive aqui, em dezembro, creio que Belo Horizonte é a sede da Copa que tem o calendário mais próximo e o cronograma mais compatível daquilo que temos como expectativa para a entrega das obras em 2013 e 2014”, disse.

“Só posso falar bem do Mineirão, pela sua tradição, sua bela arquitetura, pela compatibilidade das obras com o cronograma acertado. A reforma do Mineirão assegura que ele ficará mais bonito e que Belo Horizonte realizará uma Copa do Mundo na expectativa de Minas, do Brasil e do mundo”, completou.

BH além do Mineirão

Apesar de ver o Gigante da Pampulha em dia, Aldo Rebelo deve se preocupar com as obras indiretamente impulsionadas pela Copa do Mundo, como a do BRT, em Belo Horizonte.

Isso porque auditoria técnica do Tribunal de Contas do Estado (TCE) de Minas apontou indícios de superfaturamento em uma obra da Prefeitura de Belo Horizonte realizada pela Delta Construções. Esta é investigada pela Polícia Federal por suspeita de envolvimento com o contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira.

“Eu não creio que investigação tenha que significar a paralisia das obras. Não vejo nenhuma relação”, comentou Rebelo, minimizando o fato.

Para o prefeito Márcio Lacerda, não é hora de “espalhar lama sem fundamento”. Se houver necessidade de ajustes, eles serão feitos. “Estamos bastante tranqüilos em relação aos nossos prazos e vamos cumpri-los”, garantiu.

Legado da Copa para os clubes

O desejo da presidente Dilma Rousseff de ver o Brasil com maior transparência administrativa, inclusive no âmbito privado, pode chegar ao mundo do futebol. O governo estuda uma maneira de regular a gestão no futebol.

“Nós precisamos escolher entre os legados e heranças da Copa do Mundo, a melhoria do desempenho e da gestão do nosso futebol. A preocupação é reunir pessoas que conheçam o mundo, a realidade e a experiência de futebol para aproveitar a Copa e melhorar, democratizar a gestão do futebol brasileiro”, disse Rebelo sobre o assunto.

Matéria retirada do site www.educacaofisica.com.br (link direto: http://www.educacaofisica.com.br/index.php/theatre/21797-construcoes-brasil-afora-o-andamento-das-obras-nos-estadios-brasileiros-para-o-mundial)

Imprimir Envie para um amigo por email
Print Friendly

Deixe um comentário

Você deve estar logado para postar um comentário.

Videoteca

IV SIGPE | Conferência: Temas emergentes que impactam na gestão das entidades esportivas IV SIGPE | Conferência: Temas emergentes que impactam na gestão das entidades esportivas

25/06 IV SIGPE | Conferência: Temas emergentes que impactam na gestão das entidades esportivas