Instituto Telê Santana inicia projeto futebol de campo e futsal na região metropolitana

Publicado em 06/10/2017 por

Imprimir Envie para um amigo por email
Print Friendly

Está mais que provado que o esporte é uma das principais ferramentas na luta pela igualdade social e contra a criminalidade. Sabendo disso, o Instituto Telê Santana iniciou a execução do projeto “Futebol – Fio de Esperança”, que atenderá 125 crianças e adolescentes, com idade entre 6 e 16 anos, que morem na cidade de Nova Lima e estejam regularmente matriculados em escolas da Rede Pública de Ensino. As atividades vão até o final do mês de agosto do próximo ano.

Viabilizado pela Secretaria de Estado de Esportes (SEESP), por meio da Lei Estadual de Incentivo ao Esporte, o objetivo principal do projeto é diminuir a evasão escolar, ocupando o tempo dos alunos inscritos e, assim, diminuir os riscos do envolvimento com atividades ligadas à marginalidade.

“O esporte por si só já atrai atenção de qualquer criança. E, no caso do nosso projeto, vamos usar o esporte como uma forma lúdica para ensinar a eles normas, disciplina e muitos outros benefícios implícitos na pratica do esporte”, conta Renê Santana, presidente do Instituto e filho de Telê Santana.

Ex-atleta e técnico profissional, Renê foi assessor de seu pai nas Copas de 1982 e 1986 e agora espera devolver para a sociedade um pouco do que ganhou com o esporte, por meio do projetos. “Esse é um desafio que abracei com todo o carinho. Não apenas para retribuir um pouco do que o esporte me deu, mas principalmente porque acredito que dessa forma estarei contribuindo para um mundo melhor, mudando a realidade de várias crianças”, se emociona.

Para isso, o projeto, que terá duração de 11 meses, oferecerá aos participantes treinamento diário de futebol de campo e futsal, além de palestras motivacionais e intercâmbios culturais com outras escolas. As atividades acontecerão sempre no contra turno escolar.

Para se inscrever, é preciso que o pai ou responsável pelo aluno interessado vá ao local do projeto, no campo Montanhês Sport Clube- Nova Lima/MG, e pegue a ficha de inscrição para preencher com os dados do aluno. Aprovado no Edital 01/2015, o projeto do Instituto captou R$ 113.558,79 para sua execução, junto a empresa de transportes Rouxinol Viagens e Turismo LTDA.

Outro Projeto
O Instituto Telê Santana possui ainda um outro projeto, o “Esportes – Fio de Esperança”, que também foi aprovado no Edital 01/2015 e está em fase de captação de recurso. A diferença entre eles é que nesta proposta as atividades terão a duração de 10 meses, com aulas três vezes por semana, nas modalidades de handebol, vôlei e tênis.

Essa é mais uma grande oportunidade para empresários interessados em apoiar o esporte em Minas Gerais. Vale ressaltar que, para isso, não é preciso gastar nenhum centavo a mais, uma vez que o dinheiro investido pela empresa é um recurso que já terá que ser revertido aos cofres públicos. Veja aqui a relação dos projetos que já foram aprovados no mecanismo e buscam parceiros.

“Graças a mecanismos como este, Instituições como a nossa, estão conseguindo obter recursos para financiar seus projetos. Além disso, com o passar dos anos, cada vez mais os empresários estão entendendo que com esse mecanismo eles não precisam gastar nada a mais para ajudar no desenvolvimento do esporte. Fora que gera um grande retorno para empresa, uma vez que ela ganha visibilidade apoiando um projeto que vai transformar a vida de muitas crianças, dando formação e educação, por meio do esporte”, conclui Renê Santana.

A escolha do nome
Outra história interessante sobre o projeto diz respeito à escolha do nome “Fio de Esperança”. Trata-se de um dos vários apelidos que Telê Santana teve durante sua carreira. “Parece que foi um nome feito para nós que estamos trabalhando no projeto e queremos dar esperança de um futuro melhor para as crianças”, conta Renê, antes de fazer a relação de como o surgiu o referido apelido.

“É um nome muito sugestivo para um projeto como este. Inclusive a história de como surgiu este apelido do Telê também foi preponderante para sua escolha. Quando ele começou a jogar no Fluminense, ainda com 19 anos, o jornalista Mário Filho (que dá nome ao Maracanã) costumava falar que enquanto o Telê estava em campo, o Fluminense ainda tinha esperança de fazer gols. Com isso, foi realizado um concurso para as pessoas escolherem qual seria o apelido do Telê, com direito a um prêmio para o vencedor. E quem ganhou foi o Fio de Esperança”, lembra Renê.

Fonte: Asscom Secretaria de Estado de Esportes [Adaptado]

Imprimir Envie para um amigo por email
Print Friendly

Comentários estão fechados

Videoteca

“Cápsula do tempo” percorre o Brasil recolhendo depoimentos visando Tóquio 2020 “Cápsula do tempo” percorre o Brasil recolhendo depoimentos visando Tóquio 2020

16/10 “Cápsula do tempo” percorre o Brasil recolhendo depoimentos visando Tóquio 2020