Entenda por que suas ações de marketing não dão certo na academia

Publicado em 24/01/2018 por

Imprimir Envie para um amigo por email
Print Friendly

O Brasil tem números expressivos quando o assunto é o mercado fitness. Segundo levantamento feito em 2016 pela IHRSA (International Health, Racquet and Sportsclub Association), a Associação Internacional do mundo fitness, são mais de 30 mil academias espalhadas pelo país, que fica atrás apenas dos Estados Unidos nesse quesito. O número de alunos matriculados em academias brasileiras passa de oito milhões. Apesar do crescimento do segmento nos últimos anos, há quem diga que a entrega de serviços do mercado fitness não é bem feita no Brasil.

Gestora técnica e operacional para academias, a consultora Patrícia Marques Lobato avalia que o marketing dos espaços fitness para atingir seu público-alvo é pouco eficaz. As campanhas e os anúncios trazem homens e mulheres com corpos esculturais, quando, na verdade, o público-alvo a ser perseguido pelas academias é o dos sedentários, que representam 45,9% da população nacional.

“As academias se apropriam só da parte estética e ignoram a saúde, a qualidade de vida e a interação social, por exemplo. A pessoa que é musculosa já é automotivada pela estética. Os outros 80% da população não conseguem se identificar nessa mensagem transmitida habitualmente. A dona de casa e o obeso, por exemplo, se sentem menos convidados a fazer parte daquele mundo de academia”, opina Lobato.

Outro motivo para o distanciamento de uma parcela da população da academia são os objetivos que os profissionais de educação física traçam para seus alunos. 38% dos brasileiros vão às academias em busca de saúde. A fatia que coloca a estética como prioridade é maior: 51%.

“Esse profissional convive com o paradigma de que a musculação é a porta de entrada para o mercado fitness. Se a pessoa que não é habitué da academia é inserida em uma modalidade que não gosta, a chance de abandonar a prática esportiva é enorme. As outras modalidades ficam subjugadas. Na cabeça deles, todo mundo precisa ganhar massa muscular. A impressão é que não ouvem a real necessidade do aluno. O aluno pode falar qualquer coisa, mas eles vão prescrever sempre treinos parecidos. Estão no piloto automático”, acrescenta. A taxa de retenção de alunos nas academias brasileiras gira entre 30 e 35%.

Fonte: Portal da Educação Física (Pedro Lopes)

Imprimir Envie para um amigo por email
Print Friendly

Comentários estão fechados

Videoteca

Observatório do Esporte de Minas Gerais Observatório do Esporte de Minas Gerais

16/10 Observatório do Esporte de Minas Gerais