Entre os melhores atletas mineiros pelo 3º ano consecutivo, Vitória Guerra declara amor à ginástica rítmica: “Não sei viver sem ela”

Publicado em 16/02/2017 por

Imprimir Envie para um amigo por email
Print Friendly, PDF & Email

Foto: Ricardo Bufolin/CBG

90 segundos para demonstrar infinitas possibilidades de movimentações corporais em harmonia com uma música e coordenados sob aparelhos, como cordas, arcos ou bolas. Isso é ginástica rítmica. E tem uma mineira que se destaca bastante na modalidade mundo afora: Vitória Guerra.

Aos 15 anos, a jovem possui uma vasta lista de títulos. Campeã Sul-Americana, Pan-Americana, brasileira, etc. Em uma destas conquistas, na Colômbia, rendeu uma recepção calorosa para Vitória ainda no Aeroporto de Confins, na região metropolitana de Belo Horizonte, onde família e amigos festejaram bastante o título.

O Observatório do Esporte de Minas Gerais traz, com exclusividade, uma entrevista com Vitória Guerra. Confira:

Quando e como você decidiu se tornar uma atleta?

“Comecei no hipismo. Mas eu e minha família começamos a procurar ginástica rítmica, pois desisti da primeira modalidade. Então começamos a procurar. Daí recebemos um panfleto de uma escola que oferecia aulas, então comecei a fazer. Fiz uma aula experimental e amei a ginástica”

Você tem algum ídolo em quem se inspira?

“Me inspiro nas atletas russas e ucranianas, algumas campeãs olímpicas em 2016”

Qual o maior desafio que você enfrenta no esporte? E como busca a superação?

“Todo dia é um desafio. Treino sempre buscando melhorar o que fiz o dia anterior. Tenho que me superar todos os dias para poder competir. Tem também os desafios financeiros, pois a ginástica é um esporte que não é barato. Chega um momento em que preciso viajar para competir internacionalmente, arcar com materiais de ginástica para treinar, também”

Para você, o que significa o esporte?

“A ginástica é minha vida. Eu não sei viver sem ela, porque faz parte de mim. Não consigo deixar de parar”

Quais as principais mudanças que o esporte trouxe à sua vida?

“O esporte mudou a minha vida em todos os sentidos. Ele me ensinou a ter determinação, a lutar sempre pelo o que eu quero. Me ensinou a competir. Foi importante na escola também, pois me ajudou a pensar, aprender a raciocinar”

Quais são suas principais metas para os próximos anos?

“Um dos meus sonhos é participar do Grand Prix de Moscou e das Olimpíadas de Tóquio, em 2020. Então tento me manter na melhor colocação no ranking nacional. Conseguir ser campeã brasileira adulta, além dos Jogos Escolares de Minas Gerais (JEMG), é algo que quero muito. Quero viajar o mundo competindo pela ginástica”

Qual foi a sensação de ter conquistado o prêmio “Melhores do Ano 2016”?

“Foi uma honra. É um reconhecimento do nosso esforço. É muito bom saber que as pessoas estão vendo o que você faz”.

Quais foram suas principais conquistas?

“Fui campeã brasileira infantil e juvenil , além de conquistar o Pan-Americano e o Sul-Americano. Fui pentacampeã mineira também, além do prêmio de Melhores do Ano em  2014 e 2015 e 2016.” Cabe destacar também que em 2o17, Vitória ganhou o Troféu Telê Santana pela conquista da medalha de ouro na categoria juvenil do Campeonato Sul-Americano de Ginástica Rítmica disputado em outubro de 2016 na Colômbia.

Um recado para os jovens que queiram praticar a ginástica ou que estão começando

“Mesmo que tudo pareça difícil, que as pessoas perseverem, que não desistam dos seus sonhos. Se tiver fé, vai conseguir. Tudo é possível para aqueles que creem”

Imprimir Envie para um amigo por email
Print Friendly, PDF & Email

Comentários estão fechados

Videoteca

Impulsiona realiza live sobre atividade física no retorno às aulas presenciais Impulsiona realiza live sobre atividade física no retorno às aulas presenciais

03/12 Impulsiona realiza live sobre atividade física no retorno às aulas presenciais