Holanda: especialista usa país como exemplo na discussão de políticas esportivas

Publicado em 26/08/2019 por

Imprimir Envie para um amigo por email
Print Friendly

Palestra de encerramento do IV Seminário Internacional de Gestão e Políticas para o Esporte discute políticas esportivas e aplicação de recursos com foco na Holanda

O esporte como direito e acessível a todos. Essas são algumas das principais discussões feitas durante as palestras do IV Seminário Internacional de Gestão e Políticas para o Esporte, organizado pelo grupo Inteligência Esportiva. Pode-se dizer que o esporte é um espelho da sociedade e, as desigualdades visualizadas em vários âmbitos sociais, também podem ser percebidas na cadeia esportiva. Melhor governança, distribuição de recursos e uma legislação que busque a inclusão de todos são o melhor caminho para a evolução do contexto esportivo.

Em geral, a ideia da política esportiva é disponibilizar o esporte de maneira acessível e facilitado a todos. O Dr. Remco Hoeckman é diretor do Mulier Instituut, na Holanda, e tem formação como pesquisador, apoiador de associações e diretor de política esportiva. Ele explica que é muito importante que os governos se envolvam para que o esporte seja mais acessível e mais barato para todos, “ou seja, como um direito social, é uma ideia facilitar o esporte provendo locais, alguns equipamentos e isso se relaciona à disseminação do esporte”, esclarece.

Remco

Remco Hoekman, diretor do Mulier Instituut.        Foto: Play the Game / Thomas Søndergaard

Ao contrário do que é dito sobre o esporte para todos, o pesquisador diz que o dinheiro investido em esporte na Holanda costuma não favorecer a inclusão social. “O fato é que este tipo de política não ajuda e isso é voltado para as pessoas de renda mais alta, pois eles acabam sendo membros de clubes esportivos e tem um relacionamento forte com o dinheiro de fato”, explica Hoeckman, sobre a falha na legislação e inclusão de toda a população, “Os legisladores devem incluir os menos afortunados em suas políticas e se perguntar se o esporte dessa forma leva a uma participação maior”, questiona.

O Dr. Remco Hoeckman explica que o investimento no esporte não traz benefícios somente para o indivíduo, mas para toda a sociedade, devido à existência do que ele chama de caráter nacional do esporte que gera uma expectativa trazida pelas políticas esportivas que levam a mudanças comportamentais. “Tornando o esporte mais acessível, acredito que estão influenciando o comportamento dos indivíduos”, indica o pesquisador.

O investimento esportivo não traz desenvolvimento somente para uma área de políticas públicas. Quando se fala de desenvolvimento de políticas esportivas, impactando em outras, pode-se notar o relacionamento com, por exemplo, a saúde, o bem-estar social e a educação. A nível local, o principal objetivo das políticas de esporte está relacionado às melhorias na saúde da população.

Em geral, é necessária uma agenda para a definição de assuntos relacionados às políticas esportivas. Na Holanda, segundo relatos de Hoeckman, há uma grande influência dos clubes esportivos que impõe uma espécie de comportamento para a sociedade. “A pessoa relacionada a clubes de prática de esportes é o tipo de cidadão que geralmente está envolvido também nas tomadas de decisão dos governos locais.  Essa é uma influência limitada, mas altamente motivada por pessoas que acreditam no poder do esporte e que utilizam o esporte para ter bons resultados de saúde e bem-estar social”.

Ao observar o contexto das políticas esportivas, é possível notar que as pessoas que estão gerenciando esportes locais são aquelas que estão focando em facilitar o esporte e isso está aumentando a saúde das pessoas envolvidas. Está acontecendo uma mudança recorrente no discurso, focando na contribuição do esporte para a sociedade e nos benefícios das políticas esportivas para a saúde e participação social das pessoas na sociedade. Além disso, é constantemente questionada a aplicação de recursos que influenciam a população de renda mais alta em detrimento da população de baixa renda.  “Então, parece que há alguma mudança ou problema nos objetivos, entre onde o dinheiro vai nesse caso pois as pessoas que praticam o esporte ficam mais saudáveis, e é claro que não estamos falando de esportes complexos e sim de esportes de acesso mais simples, e as pessoas acreditam no poder no esporte, mas não há uma avaliação crítica sobre o assunto e o monitoramento é limitado e a avaliação também é limitada”, questiona o pesquisador.

SOBRE O PROJETO INTELIGÊNCIA ESPORTIVA

O IV Seminário Internacional de Gestão e Política para o Esporte é uma iniciativa do Instituto de Pesquisa Inteligência Esportiva da Universidade Federal do Paraná (UFPR/IE). O Instituto de Pesquisa “Inteligência Esportiva” é uma ação conjunta entre o Centro de Pesquisa em Esporte, Lazer e Sociedade (CEPELS) da Universidade Federal do Paraná (UFPR) e a Secretaria Nacional de Esporte de Alto Rendimento (SNEAR) da Secretaria Especial de Esportes do Ministério da Cidadania. Esse projeto surgiu em 2013 com o objetivo de produzir, aglutinar, sistematizar, analisar e difundir informações sobre o esporte de alto rendimento no Brasil e analisar as políticas públicas para o esporte de alto rendimento.

Imprimir Envie para um amigo por email
Print Friendly

Comentários estão fechados

Videoteca

IV SIGPE | Conferência: Temas emergentes que impactam na gestão das entidades esportivas IV SIGPE | Conferência: Temas emergentes que impactam na gestão das entidades esportivas

25/06 IV SIGPE | Conferência: Temas emergentes que impactam na gestão das entidades esportivas