Presidente do BH Eagles Futebol Americano conta como trajetória vitoriosa abriu as portas para parceira com o SADA Cruzeiro

Publicado em 12/09/2017 por

Imprimir Envie para um amigo por email
Print Friendly
Wesley Oliveira, presidente do BH Eagles Futebol Americano (Arquivo Pessoal/Divulgação)

Wesley Oliveira, presidente do BH Eagles Futebol Americano (Arquivo Pessoal/Divulgação)

O futebol americano é o esporte que mais cresce em popularidade no país. Mas o que pode acontecer quando um grupo de amigos se une para jogar futebol americano em acampamentos em pleno solo mineiro? Bom, nesse caso o que era só diversão transformou-se em coisa séria e hoje BH Eagles destaca-se entre os clubes de futebol americano estaduais e do Brasil.

Conheça um pouco da história do BH Eagles e da trajetória do presidente do clube, Wesley Oliveira, na entrevista feita pelo Observatório do Esporte.

Qual a sua relação com o esporte e como sua história cruza com o futebol americano?

Minha história é recente. Há três anos conheci o futebol americano por meio do meu filho e me envolvi intensamente no esporte. No início, éramos um grupo de amigos da Getsêmani que jogava futebol americano nos acampamentos de carnaval. Nós percebemos o grande número de pessoas que nos procuravam e se juntavam a nós nas brincadeiras. Foi quando decidimos formar uma associação de futebol americano – hoje o Jet Eagles – e  resolvemos levar o projeto mais  adiante.

Depois da formação da Associação, quanto tempo depois o clube começou a participar de competições oficiais e como foi a parceria com o Sada Cruzeiro?

Quando criamos a Associação, em 2015, apenas treinávamos, então percebemos que o time precisava de mais qualidade técnica e por isso contratamos um técnico americano para fazer esse trabalho conosco. Logo em seguida, no fim de 2015,  fizemos o campeonato Serrabol e claro que perdemos! O primeiro jogo a gente sempre perde. Mas com o sucesso do campeonato, atraímos os olhares de todo o Brasil para o futebol americano. Com isso, fomos convidados a participar de um campeonato no México. Contratamos jogadores em nível de seleção e fomos como coadjuvantes, mas acabamos campeões. Daí para frente começou nossa jornada vitoriosa: voltamos do México e fomos vice-campeões do Campeonato Mineiro, entramos da Liga Nacional – que é a série B do Campeonato Brasileiro. Fomos campeões invictos e conseguimos o acesso para o Campeonato Brasileiro.

Com todas essas vitórias, a equipe do Cruzeiro achou que tínhamos a cara do clube. Fizemos algumas visitas a eles e no início deste ano iniciamos a parceria. Hoje levamos o nome Sada Cruzeiro Futebol Americano.

Há alguma personalidade da modalidade que te inspire?

Minha inspiração mesmo é a Liga Profissional Americana (NFL). Nós nos inspiramos naquilo que dá certo lá. Já somos 20 milhões de amantes da modalidade e estamos fazendo de tudo para proporcionar os melhores eventos para Belo Horizonte.

Sabe-se que o Futebol Americano está cada vez mais popular no Brasil. Qual o maior desafio para promover a modalidade em Minas Gerais?

O mais desafiador para os times de futebol americano do estado é a questão financeira. As empresas ainda estão conhecendo o esporte e não investem tanto. Posso elogiar as iniciativas da Secretaria de Estado de Esportes. As leis de incentivo vêm salvar os clubes, que às vezes não tem patrocínio nenhum. Essas iniciativas podem promover e divulgar o esporte, principalmente entre os jovens, que ainda não encontraram sua modalidade e podem achar sua redenção no futebol americano. Esse é o nosso propósito.

Como você avalia o trabalho de categoria de base que está sendo desenvolvido no estado?

Vários times de Minas Gerais têm se preocupado com a base dos clubes. Nós do Eagles temos o sub-15 e o sub-18 e muitos jovens estão buscando esse esporte. Hoje temos cerca de 250 atletas em nosso elenco contando time principal e os times de base. Esse trabalho com os meninos vem sendo um sucesso, porque o futuro do time é a base.

Descreva uma conquista marcante?   

Foi o Campeonato Brasileiro do ano passado, nosso primeiro campeonato nacional, quando fomos campeões invictos, no Estádio Independência, título que nos alçou para a série A deste ano. 

Qual a sensação de ter sido premiado no “Melhores do Ano 2016”?

Para nós foi muito bom porque demonstra o reconhecimento do nosso trabalho. Já estamos ansiosos para integrarmos mais uma vez a lista dos que se destacaram no esporte mineiro e, dessa vez, espero que com um título do Campeonato Brasileiro.

Um recado para aqueles que queiram iniciar carreira no futebol americano ou que estão começando.

Seja sempre focado em seu objetivo. Não desista, pois o futebol americano é um esporte que promete e que tem muito a crescer. Se você deseja ser atleta, nós promovemos sempre seletivas para que possam fazer parte desse grupo. Àqueles que querem ser treinadores, nós promovemos clínicas com nossos especialistas na área, basta nos procurar.

Observatório do Esporte de Minas Gerais

Imprimir Envie para um amigo por email
Print Friendly

Comentários estão fechados