Mineiros fazem bonito e garantem medalhas no último fim de semana dos Jogos Olímpicos do Rio

Publicado em 22/08/2016 por

Imprimir Envie para um amigo por email
Print Friendly, PDF & Email

Os Jogos Olímpicos do Rio 2016 se encerraram e os brasileiros já sentem saudades dos últimos 17 dias intensos, nos quais muitas emoções foram vividas. E neste domingo (21), véspera do término, não poderia ser diferente. O Brasil finalizou sua participação no vôlei masculino com chave de ouro, literalmente, ao vencer a Itália por 3 sets a 0, subindo no lugar mais alto do pódio.

(Foto: Getty Images)

Dois mineiros foram diretamente responsáveis pela campanha campeã do Brasil no voleibol: o ponteiro Lucarelli, natural de Contagem, e o central Maurício Souza, nascido em Iturama, no Triângulo Mineiro. O ponteiro foi decisivo em cada ponto brasileiro, causando prejuízos nas defesas adversárias. Souza, considerado um dos melhores bloqueadores do mundo, continuou sendo o “paredão” verde e amarelo. Recentemente, o Observatório do Esporte contou a história dos dois atletas (confira aqui).

Assim como Maurício Souza, que era servente de pedreiro antes de ingressar no voleibol, o lutador Maicon de Andrade Siqueira também fazia parte do mundo da construção. Nascido em Justinópolis, na cidade de Ribeirão das Neves, Maicon surpreendeu o mundo ao faturar a medalha de bronze no  taekwondo, na categoria acima dos 80 quilos, ao vencer por 5 a 4 o lutador Mahama Cho— que, apesar de ser da Costa do Marfim, competia pela Grã-Bretanha. Com o resultado, Siqueira se tornou o segundo atleta do taekwondo brasileiro a conquistar uma medalha em Olimpíadas.

(Foto: Getty Images)

No entanto, para chegar no pódio olímpico, Maicon teve que percorrer um caminho repleto de obstáculos. Caçula de uma família de 12 irmãos, dos quais quatro já falecidos, o lutador, além de servente de pedreiro, trabalhava aos sábados como garçom de buffet infantil. Assim, o taekwondo era praticado somente aos domingos. Aos 19 anos, Andrade se mudou para São Caetano do Sul/SP, onde passou a treinar na modalidade. Passados quatro meses, sua mãe, Vitória, foi diagnosticada com câncer e Maicon chegou a cogitar desistência da carreira, mas foi orientado a continuar e Vitória acabou curada.

Em função de uma fratura na perna, Maicon deixou de disputar o Pan-Americano e o Mundial de Taekwondo, e precisou de se superar para conseguir subir no ranking nacional, visando entrar na seletiva para a disputa dos Jogos Olímpicos. Siqueira quase teve que enfrentar Anderson Silva, que pretendia disputar a modalidade na Rio 2016, mas o ex-campeão do UFC acabou desistindo. Maicon venceu Guilherme Felix e André Bília para chegar em solo carioca. Assim, mesmo não estando entre os 10 primeiros do ranking olímpico da Federação Internacional de Taekwondo, venceu diante de sua pátria e mostrou para o mundo quem é Maicon de Andrade Siqueira.

(Foto: Getty Images)

*Com informações do El País, Portal IG e Brasil 2016

Imprimir Envie para um amigo por email
Print Friendly, PDF & Email

Comentários estão fechados

Videoteca

Impulsiona realiza live sobre atividade física no retorno às aulas presenciais Impulsiona realiza live sobre atividade física no retorno às aulas presenciais

03/12 Impulsiona realiza live sobre atividade física no retorno às aulas presenciais